sábado, 14 de novembro de 2015

O CAVALO DE TRÓIA DO NOVO SÉCULO

O CAVALO DE TRÓIA DO NOVO SÉCULO     
Marcelo Aiquel - advogado
  
         Hoje não vou falar sobre PT, Brasil, Laja-Jato e etc... É sobre um assunto MUITO mais preocupante. Nitroglicerina pura!

Todos conhecem a história do Cavalo de Tróia.

         Pois eu suspeito que uma novíssima versão desta antiga estratégia militar está em andamento na Europa, “disfarçada” na invasão de refugiados que desembarcam diariamente nas fronteiras daquele continente.

         Pensem comigo:

         A esmagadora maioria é declaradamente paupérrima e está fugindo de guerras e perseguições religiosas e raciais, só com a roupa do corpo.

         Como então conseguem o dinheiro que é cobrado pelos “atravessadores”?

         Olhem bem, não estamos falando de uns trocados. São mais de três mil (3.000) Euros por pessoa!

         Você conhece algum pobre que disponha de 3.000 Euros para pagar por algo que ele sequer tem garantia de sucesso?

Ah, dirão os defensores desta estratégia militar disfarçada: “são pessoas desesperadas que fariam qualquer coisa para escapar da morte”.

 Como se a morte pudesse ser comprada...

 Há também centenas de casos de pessoas que são repatriadas, mas, em seguida, voltam para buscar refugio.

 Resta evidente que “alguém” está financiando esta gente. Usando esta gente para esconder um objetivo maior.

 Misturam algumas mulheres e crianças, algumas famílias, no meio de milhares de homens para dar “aparência” de desespero coletivo a um – para mim claríssimo – projeto para abastecer a Europa de muçulmanos radicais.

 Com certeza serei contestado. Mas, já pensava sobre isso e, ao receber um e-mail de um amigo, acendeu a luz vermelha de alerta: A estratégia é tão bem arquitetada que estão utilizando a misericórdia cristã que embala os nossos corações para criarem uma rede de defensores (inconscientes) desta invasão. Inconscientes, ou muito bem iludidos pela máquina da mídia financiada pelo terror oriental.

 Transcrevo abaixo o e-mail que me fez pensar mais sobre o assunto (procurei “adaptar” o texto, originalmente escrito em português de Portugal. Os grifos são meus) e chegar a algumas evidentes conclusões:

Eu não consigo pôr um Euro de lado nem ao menos para passear por aqui perto. Pergunto-me – como é que então um refugiado que tem que pagar 3.000 a um passador, sabendo que ele precisará de vários anos para chegar a ter 1.000. 

Além disso, quando eles são enviados de volta, alguns regressam de imediato. Então eu penso que serão provavelmente terroristas misturados com refugiados "pobres".

Em teoria, não é tão improvável quanto isso! De onde vem este dinheiro todo?

O Hijra: Um "cavalo de Tróia" Moderno... ou a doutrina islâmica de Imigração? A estratégia de Reconquista... com 14 séculos de idade?

Quem são os migrantes que aportaram na Itália, na Grécia e mais países europeus?

Dizem-se "Refugiados" que perderam tudo. Os relatórios seguem uns a seguir aos outros para descrever suas condições de vida terríveis. Eles têm apenas o suficiente para comer, mas assim que chegam logo os vemos pegarem nos celulares e falarem... com quem? reclamam que não têm internet e wi-fi...

Metade dos 22 milhões de sírios vivem com menos de US$2 por dia desde há mais de 2 anos, devido à guerra.

Então, como arranjam entre 3.000 e 5.000 Euros para pagar aos contrabandistas?

E se alguém estiver financiando a viagem a jihadistas disfarçados de refugiados?

Quem são os mais perseguidos na  Síria e Iraque? São cristãos, Yezidis, mulheres, velhos, crianças.
Há algum cristão em navios de carga que chegam à costa italiana e grega? Não! São essencialmente muçulmanos. 

Crianças, idosos, mulheres? Não muitos, só os necessários para o espetáculo, a grande maioria são homens solteiros.

Calais é testemunha.

A ONU fala de um milhão de crianças sem um cobertor para enfrentarem o inverno, enquanto que os "traficantes" têm 2 ou 3 milhões Euros para comprarem cargueiros e depois abandoná-los como acontece regularmente.

E esses contrabandistas passaram a ser marinheiros, capitães, mecânicos. Eles teriam aprendido a navegar navios de carga que depois abandonam?
Sabe-se que o Estado Islâmico tem enormes recursos financeiros, bancos, poços de petróleo.
Todo mundo sabe essa história, que foi o episódio final da Guerra de Tróia, e como terminou.
Como não podem retornar de forma anônima à Europa depois de lutar pelo Estado islâmico, os guerreiros muçulmanos entram disfarçados como refugiados e escondidos em navios  que navegam no Mediterrâneo.

Chegam à costa italiana ou grega e foram e são recebidos como um presente dos deuses: Eles ofereceram uma nova oportunidade aos europeus para reparar seus crimes coloniais "abjetos", abrindo os braços para os mais desfavorecidos.

Este estratagema pretende provocar a queda do império.

Qual o politico a quem um jornalista tem a coragem de fazer esta pergunta?

Mas perguntem à CIA se tem dúvidas! Os milicianos do Estado Islâmico vêm para a Europa disfarçados de refugiados, segundo fontes de inteligência dos EUA.

Se a invasão muçulmana da Europa continua no ritmo atual, em poucas décadas os cemitérios são os únicos lugares onde cristãos, judeus e outros ... serão a maioria. 

O Qatar é um dos países muçulmanos mais extremistas ... isto é bem conhecido ... assim como a Arábia Saudita.

E porque será que os países árabes não acolhem os seus irmãos?
Toda a Europa se preocupa em acolher os “migrantes”, mas nenhum país islâmico se prontificou a recebê-los. Não seria isso natural? Não estariam eles todos bem melhor em países muçulmanos?

Para aqueles que ainda não sabem, a Embaixada do Qatar, numa das mais bonitas avenidas de Bruxelas (Avenue Franklin Roosevelt) tem previsto o financiamento da construção de uma mesquita para 6000 pessoas!

No entanto, o Ministério das Relações Exteriores não só se recusou a aprovar este financiamento, mas também respondeu ao Centro de Tawfiq islâmica "...que seria paradoxal aceitar esse tipo de financiamento proveniente de um país que não aceita nenhuma liberdade religiosa".

Quem sabe começamos a fazer algo para alertar o mundo do que está a acontecer?

O ministro das Relações Exteriores da Noruega, Jonas Gahr Store, ao jornal VG, a propósito do pedido da Arábia Saudita para a construção de uma mesquita: "Podemos apenas dizer NÃO. O Ministério não aprova, mas aproveitou a oportunidade para acrescentar que a aprovação seria paradoxal, sabendo que tentar estabelecer uma comunidade cristã na Arábia Saudita será considerado um crime punível por decapitação."

Porque será que a imprensa ocidental não difunde tais notícias?
Mas há países europeus (e são muitos) que (consciente ou inconscientemente) estão a preparar o seu suicídio.

NOTA: Outra mesquita está em construção no Court-Saint-Etienne.

Em Lisboa, o Sr. Antonio Costa, quando Presidente da Camara, “limpou” uma área, antes ocupada por comerciantes chineses, e doou-a aos muçulmanos para construírem uma Mesquita, coisa que faz imensa falta em Lisboa!...

Fora de causa tentar construir uma igreja ou centro secular no Médio Oriente ou no Oriente Islâmico!
Eles têm o direito de destruir tudo o que é diferente do Islão (cristãos, coptas, judeus, budistas, e até mesmo monumentos seculares, ex: Palmira), mas invadem países ocidentais com suas mesquitas e minaretes.

NOTAS:
1. Por que razão recusam caixas com comida e medicamentos, somente porque têm o símbolo da “Cruz Vermelha” impresso na caixa?
2. Por que não procuram asilo em países árabes?
3. Aonde vão buscar os 3000 Euros por pessoa para pagarem aos traficantes? Só para a travessia do Mediterrâneo (estamos a falar em cerca de 3000 migrantes por dia a 3000 euros cada um!). Esta soma representa cerca de 9 000 000 (nove milhões de euros por dia. Pagos pelo “pobre” povo sírio e árabe para atravessarem o Mediterrâneo).
4. Além destes 3000 euros por pessoa ainda têm de ter reservas para pagarem comboios, autocarros, e outros transportes para atravessarem todos os Países até chegarem à Alemanha, França e Inglaterra. Eles (os solteiros) não querem outros Países.
5. Qualquer País fora da Síria seria bom para ficarem em paz e segurança! Não... eles (os solteiros) só querem Alemanha, França e Inglaterra. Para os outros Países (como Portugal, Espanha, Itália, etc) vão as famílias. Por quê?  A maior parte das famílias tem menos de 25 anos.
6. DÁ QUE PENSAR, NÃO É?

 *EUROPEUS... Abram os olhos e vejam em que se estão a se meter..
 *Quem estará a suportar estas DESPESAS? (Cerca de 9 Milhões, por dia)... isto não seria exagerado especialmente para famílias que vivem com menos de $2 por dia?

           
         Em tempo: A imagem do menino Aylan morto na beira da praia me fez chorar. Mas eu prefiro chorar por um inocente ao invés de lamentar um novo holocausto, como o horizonte nos anuncia nesta nova versão do Cavalo de Tróia.

         A proposta é tentadora e comovente: estenda a mão para um irmão necessitado.
         Só que este irmão, fanático e radical, não hesitará em estender a dele...
         Para decapitá-lo!

         O Estado Islâmico já nos deu provas do que é capaz. Você quer pagar para ver?


         Marcelo Aiquel - advogado
Postar um comentário