quarta-feira, 29 de junho de 2016

A Febre Chamada CrossFit






 


Coach Michele Ribeiro, esposa do coach entrevistado, Andre Silva (Foto: Reprodução / Michele Ribeiro)
Por Simone Saltiel
O treinamento que mistura exercícios aeróbicos, ginástica olímpica e levantamento de peso, veio para acabar com a “monotonia” da musculação e virou a nova moda no mundo fitness dos brasileiros.
A proposta principal do Crossfit é ser um treinamento mais dinâmico, que junta todos os benefícios de diferentes atividades físicas em um só lugar, além de se obter resultados mais rápidos. Na modalidade, são utilizados movimentos funcionais, constantemente variados e em alta intensidade, com o objetivo de melhorar capacidades como resistência cardiovascular, respiratória e muscular, força, agilidade, coordenação e equilíbrio
O Crossfit surgiu no Estados Unidos, na década de 90. Seu criador é Greg Glassman, que abriu sua primeira box em 1995, em Santa Cruz, na Califórnia. Seu objetivo inicial era que a os exercícios fossem um método de treinamento das forças policiais (SWAT) e militares norte-americanas, onde se evidenciaram os resultados da aplicação de seus conceitos. Nos anos 2000, Greg iniciou o programa de afiliações, tendo assim um crescimento enorme de adeptos.
Mas se só de ouvir falar em Crossfit você já fica assustado e com vontade de desistir antes mesmo de conhecer, o coach Andre Silva, da Crossfit Carioca, explica que os princípios do método são aplicáveis a diferentes tipos de pessoas:
– Na hora de ensinar a mecânica do movimento, não há diferença entre um idoso com dificuldade de mobilidade e um atleta de nível mundial. Na hora de aplicar a intensidade, será aplicado ao nível de cada um. Ambos têm evolução no mesmo sentido. Não há idade mínima ou máxima. Os princípios funcionais servem para todo mundo – explicou.


 
Coach Andre Silva em sua Box Crossfit Carioca (Foto: Reprodução / Andre Silva)

Apesar de ter um enorme público jovem, o treinamento obteve um considerável crescimento de adeptos mais velhos. É o caso do administrador de empresas Ricardo Samuel Goldstein, de 50 anos:
– Meu sócio estava “viciado” no esporte, como vi que ele tinha mudado muito fisicamente, mudado hábitos e estava mais disposto e saudável, fiquei curioso e quando me convidou para uma aula, fui, adorei e não larguei mais, já há quase 2 anos – contou.


    
Ricardo Goldstein conta que seus objetivos estão sendo alcançados e que hoje tem muito mais força e disposição. (Foto: Reprodução / Ricardo Samuel Goldstein)

Outro forte público alvo do Crossfit, são os atletas de diferentes modalidades, como o surfista Luis Felipe Moreira, de 24 anos. Segundo ele, o treinamento se relacionou muito bem com o surfe:
– Já tinha visto grandes surfistas fazendo treinamentos similares e resolvi experimentar. Mesmo não sendo profissional, percebi uma melhora absurda nos movimentos de explosão, equilíbrio, força nas pernas, além de ter aumentado minha resistência para remar por mais tempo, sem cansar – comenta.
O surfista conta que seu objetivo inicial era se manter em forma nos dias sem ondas e ter o prazer de fazer alguma outra atividade, já que não gosta de musculação. Mas o que mais lhe atraiu para a prática do Crossfit, foi a dinâmica do esporte:
– Por envolver levantamento de peso olímpico, ginástica olímpica e outros exercícios variados, acaba não sendo uma atividade entediante – diz.


 
Luis Felipe conta que sua qualidade de vida e sua performance no surfe tiveram uma melhora extrema e não se imagina mais longe do Box (Reprodução / Luis Felipe)

Como em todas as atividades esportivas, a boa alimentação é de extrema importância. Segundo Andre, uma alimentação saudável faz toda a diferença nos resultados alcançados, e, para os mais entusiastas, existem até dietas específicas para esse tipo de treinamento:
– As dietas sugeridas são a Paleo e Zone Diet. Nosso método exige alta intensidade e assim alteramos nosso metabolismo. O que comemos, nosso combustível, é a base energética para tudo que fazemos – diz o coach.
Ricardo afirma que sua alimentação é bastante saudável, com o mínimo possível de alimentos processados:
– Comecei a experimentar, recentemente, incrementar os probióticos e tenho me sentido muito bem-disposto. Tenho feito em casa e tomado Kefir como substituto de iogurtes industrializados e Kombutcha no lugar de sucos. Meu peso agora se mantém estável e troquei gordura por massa magra – comentou.
Luis Felipe diz que com os treinos de Crossfit se intercalando com as sessões de surfe, precisou repensar sua alimentação para dar conta de se nutrir corretamente. Procura comer grandes quantidades de proteínas, além de carboidratos e gorduras boas, e está sempre de olho para não exagerar no açúcar.
Estudos mostram que o Crossfit possui menos incidência de lesões que esportes como corrida e futebol. Portanto, não tenha medo de tentar! Consulte seu médico, procure um Box oficial e let’s workout!

Entenda como funciona o Crossfit


                                                                                                           Fonte: www.istoe.com.br


Crossfit X Musculação
Enquanto a musculação isola o movimento de um músculo para o fortalecer, o Crossfit trabalha vários grupos de músculo ao mesmo tempo, com exercícios como pular corda e levantar barras com peso sobre a cabeça, quase sem intervalo.


                                                                                                         Fonte: www.folha.uol.com.br
Postar um comentário